segunda-feira, 18 de julho de 2011

Ficar muito tempo fora do mercado de trabalho pode prejudicar a busca por uma nova oportunidade. Confira dicas para amenizar essa desvantagem.

O mercado brasileiro para emprego está aquecido, mas por diversos motivos, como afastamento temporário da área de tecnologia, empreendimento pessoal que deu errado ou seguidas ofertas de trabalho desvantajosas sob diversos pontos de vista, um profissional pode ficar um longo prazo longe das empresas.
Especialistas em recolocação profissional concordam que quanto mais tempo longe do mercado, mais difícil fica conseguir um novo emprego. De acordo com Stu Coleman, gerente-geral da empresa de recrutamento Winter, Wyman & Co., entre dois candidatos com a mesma habilidade e experiência, a preferência vai ser sempre por aquele que estava desempregado há menos tempo. Isso porque os empregadores querem funcionários que se adaptem ao ambiente mais rápido e que não estejam "enferrujados".
O sócio da empresa de RH Essex Partners, Howard Seidel, afirma que no nível executivo a dificuldade pode ser ainda maior, já que é mais comum executivos ficarem impedidos de assumirem outros cargos por conta de contratos com a empresa anterior.
A reportagem falou ainda com o blogueiro Mark Cummuta, que conseguiu o emprego dos sonhos como CIO após quase três meses, com Arun Manasigh, CIO que ficou afastado 17 meses do mercado de trabalho e com Henry Hirschel, que terminou um período de 11 meses sem emprego até assumir uma posição de gerência.
Confira as 10 dias para ser competitivo e reconquistar o espaço compiladas das conversas com esses profisionais.

Estude sua própria situação e desempenhoSeidel aconselha que os profissionais desempregados avaliem suas buscas por emprego em intervalos regulares, com uma auto avaliação completa. Dentre as perguntas para chegar à resposta do que pode estar impedindo de obter entrevistas e ofertas, as sugestões são:1 - O que está indo bem na minha busca por trabalho?2 - O que precisa mudar?3 - Estou recebendo respostas ao meu currículo?4 - Estou conseguindo apenas as primeiras entrevistas, sem chegar a uma segunda etapa?5 - Estou chegando até o final das seleções, mas sem ofertas de trabalhos?Tente atingir a perfeição no currículo e na carta de apresentaçãoNão agrave a competitividade prejudicada por um longo tempo fora do mercado com um currículo genérico e uma carta de apresentação idem. Os dois documentos devem ser personalizados para cada vaga. O conselho pode parecer básico, mas os recrutadores continuam jogando fora muitos currículos sem direcionamento. Se o candidato apresentar documentos perfeitos e o rival empregado ou há menos tempo desempregado não fizer o mesmo, a vantagem dele sobre você pode ser anulada.
Facilite a vida do recrutador
Outra dica que pode parecer muito básica, mas aumenta suas chances é a forma como você nomeia seu currículo. Um nome genérico pode prejudicar suas chances, enquanto um documento salvo com seu nome e sobrenome facilitará ao recrutador encontrá-lo quando precisar.
O endereço de e-mail é tão importante quanto. Nada de endereços piadistas, como headbangerdapesada@yahoo.com. Tenha um endereço com seu nome e sobrenome, que pareça profissional. Isso também facilita para o recrutador na hora que ele vai organizar a caixa de correio e separar currículos.
Não fique completamente parado
Se em 6 meses você ainda não conseguiu o emprego dos sonhos, aceite algo temporário ou até mesmo voluntário para não perder a mão. Assim, você tem uma história para contar e não passará a impressão de que pode ter perdido noção do senso de urgência que a vida corporativa requer. A experiência deve ser mencionada no currículo. "Algumas pessoas podem pensar que não é profissional acrescentar trabalho voluntário no currículo, mas o recrutador precisa saber disso de alguma forma", diz Seidel.
Mostre aos recrutadores que há demanda para seu perfil
Se você já foi seriamente considerado para empregos e recebeu ofertas que, por uma razão ou outra, não deram certo, deixem que os prospectos saibam disso. "Empregadores gostam quando o candidato é bem procurado˜, diz Seidel.
O momento apropriado de mostrar isso é durante a entrevista de emprego, quando o recrutador perguntar o que você esteve fazendo ou se você tem algo em seu radar. Você pode aproveitar a oportunidade para comentar de todas as ofertas de emprego que teve de recusar, mas com justificativas coerentes. Dentre elas, você pode dizer que a geografia não ajudou ou que simplesmente não achava que a vaga era para seu perfil.
Não dê sensação de desespero
Quando o recrutador telefonar e lhe pedir um horário na semana, não diga que pode ser a qualquer hora e qualquer dia. Demonstre que você tem atividades a serem feitas e sugira datas e horários. No entanto, mantenha-se flexível.
A primeira impressão é por telefone
Muitos recrutadores realizam uma pré-entrevista por telefone, razão pela qual ao atender um deles, procure um ambiente silencioso. Cachorros latindo, crianças gritando, tudo isso causa uma má impressão inicial. Do contrário, pode dar a entender que dá pouca importância para o contato.

Prepare-se para perguntas difíceisQuando o candidato está há muito tempo longe do mercado, ele vai querer investigar as circunstâncias em torno desse afastamento. Essa é a oportunidade para mitigar as preocupações do entrevistador.
Se a pergunta for porque deixou o emprego anterior, você pode dizer que um novo CEO reformulou o time de gerenciamento, que uma fusão ou aquisição eliminou a vaga ou que havia diferencias filosóficas entre você e o seu gerente. Claro, diga coisas assim se for verdade. Evite responder que não sabe o que aconteceu ou criticar o trabalho das pessoas que conviviam com você.

Reconsidere as opçõesDe tempos em tempos, reconsidere suas opções de trabalho. Se não o fizer, você pode correr o risco de descartar oportunidades que estão dentro do seu perfil e que poderiam alavancar sua carreira. Isso pode significar estudar ofertas que o façam mudar de estado e ficar distante da família por um tempo.Não idealize o emprego perfeitoEsse tipo de situação pode prolongar a situação de desemprego e apenas piorará suas chances de colocação. O emprego perfeito pode até existir, mas ficar longe do mercado de trabalho só vai reduzir as chances de um dia conquistá-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário